Tag Archives: cozinha

Aprendendo a cozinhar vendo TV (ou sentada no computador).

31 Ago

Sem forno ainda e já imaginando o dia em que finalmente poderei usá-lo fazendo uma enlouquecida Festa de Babette, nas horas livres vejo um canal novo chamado Bem Simples.

Confesso que é necessário abstrair a inexperiência dos apresentadores e focar nas receitas e dicas, algumas bem valiosas. Para fazer pão, não pode jogar o sal muito perto do fermento biológico por ele ser bactericida. Pode acabar inibindo o crescimento da sua massa.

Descobri o motivo de fritar o arroz de risoto (arbóreo ou carnaroli) antes de jogar o vinho: selar o grão para que ele não fique muito mole durante o cozimento. E outra coisa me intrigava, por que diachos colocavam certas massas na geladeira antes de ir ao forno, não vai ficar tudo quente? Elementar meu caro Watson…se você quer fazer alguma receita crocante que leve manteiga, tem que ir pra geladeira antes para que ela demore mais a derreter no forno enquanto a massa cozinha. Se ela já estiver mole, a massa ficará mais úmida e menos crocante. Meu lado científico adora esse tipo de macete!

O programa “A Confeitaria” é um dos meus preferidos. Mais do que saber fazer coisas maravilhosamente calóricas, é legal conhecer como algumas coisas que parecem complicadíssimas são feitas…e às vezes nem são complicadas assim.

Tem o da chef Carla Pernambuco, só de receitas brasileiras. O programa é bem legal e aprendi a fazer uma farofinha com mandinga pra “adoçar” pessoas. Toda vez que invento alguma coisa na cozinha (a maioria das vezes só faço macarrão mesmo, tristeza), sai uma coisa saborosa. Acabei aprendendo por osmose, só de ficar olhando as coisas sendo feitas. Incrível, mas funciona!

Mesmo que você só saiba cozinhar a pizza semi pronta do supermercado, hoje em dia é muito mais fácil aprender a fazer comida. E nem precisa ter TV a cabo, existem vários sites com vídeos. Vou deixar os que gosto aqui:

Com vídeos

Panelinha: Site da Rita Lobo, que faz coisas deliciosas (e continua linda e magra, como? :D).

Stone Soup: A proposta é fazer comidas rápidas com poucos ingredientes.

Jamie Oliver: nem preciso comentar.

Vegetarianos

Longe de ser a imagem de “vegetariana-natureba-que -só-come-folha”, eu amo comer…mais até do que gostaria e que a silhueta permite.

Então por favor…crepes, massas, risotos, tortas salgadas, panquecas, pizza, couscous marroquino, pastel, saladas turbinadas e comida viva saborosa entram no hall da felicidade plena.

Quer me matar de desgosto? Me convide para uma churrascaria rodízio e diga que é cheio de salada. Vou sair de lá costurando um bonequinho de vodu em sua homenagem.

Vegê Gourmê: Blog da chef Michele Maia, já tive o prazer de ir no seu restaurante de Búzios, que infelizmente mudou de cidade e deixou saudades.

Adrienne Eats: Designer gráfica (me identifiquei), ela põe receitas saudáveis e com fotos bacanas.

101 Cookbooks: Fotos lindas…pudera! É fotógrafa e cozinheira.

Então…não tem mais desculpas para colocar a mão na massa. Eu tenho uma! Cozinha caótica ainda…na pressa vou no macarrão. Mas com massa italiana e tomate orgânico para manter a dignidade! Tá pensando o quê? 😛

Aspargos da feira perto de casa, o feirante quase me enxotou de tanto que eu chorei preço “mas é muito chororôoo”- ele quase bradava em desespero. 

O Essencial na Cozinha

5 Jul

Se existe um cômodo aonde o céu e o inferno se encontram, pode ter certeza que é na cozinha. Maravilhoso quando aquela receita dá certo e o terror com a pilha de louça suja depois. Ótimo quando as comprinhas chegam lindas do supermercado e o horror ao descobrir a salada esquecida no fundo da gaveta de legumes sofrendo uma metamorfose maligna.

Para facilitar a limpeza e a organização, é melhor ter os essenciais e esquecer os cacarecos (ok, quem resiste? mas vamos fingir que somos pessoas contidas e racionais). Estou há 7 meses morando numa cozinha minimalista, tão minimalista que nem armário tem. E não recomendo, porque é um saco ficar arrumando as coisas em cestos. E também não tenho fogão, tenho um cooktop  de uma boca, uma panela e uma frigideira. Vou contar a conclusão desse doutorado em cozinha minimalista.

1- Você só vai cozinhar massa, fritar bife, panqueca, risoto e omelete com arroz. Ok, saladas não precisam de forno!

2-Você vai comer sorvete e brigadeiro pra matar a fome de doce.

3-Você vai ter que ter muito autocontrole para não virar o Gigante Olofeu (minha mãe que fala isso) e só comer porcaria por preguiça.

Apesar desse estranho estilo de vida, de vez em quando recebemos alguns aventureiros amigos no nosso acampamento para um jantar de guerrilha.

Todo esse preâmbulo é para falar que o que foi útil para nós nesse tempo. Outros apetrechos bacanas você encontra na minha lista de chá-de-panela.

  • Facas de boa qualidade. Uma faca de pão: Não precisa comprar um kit com inúmeras facas. Eu tenho duas pequenas afiadíssimas (uma sem e outra com dentes) e uma grande a la Jamie Oliver.
  • Colher de pau. Tenho algumas, uma só pra fazer doce. Deixe no sol quando puder porque senão fica com mofinho.
  • Chaleira Elétrica: para fazer café, chá, ferver água pra jogar na louça, roupa (eu tenho mania de jogar água quente pra desinfetar, é TOC). Ferve rápido, eu usei horrores (várias vezes por dia) e ela continua ótima.
  • Máquina de lavar louça: se puder, tenha. Já vi casal pedindo divórcio por conta de louça suja. E quem mora sozinho se aperreia com a quantidade de louça pra fazer um almoço.
  • Frigideira.
  • Duas panelas, no mínimo: uma média e outra mais funda para fazer aquele macarrão que você já é especialista. Na média você faz o molho. Pronto.
  • Filtro de água: vale totalmente o investimento. Muito melhor do que comprar aquelas garrafonas pesadas que podem causar um tsunami doméstico se você estiver com fraqueza. Não curto filtro de barro, é romântico, mas o gosto não me agrada.
  • Os óbvios: geladeira com freezer, fogão. De preferência autolimpante.
  • Mixer de mão: tenho um que serve como processador e batedeira, é ótimo. Mil e uma utilidades.

O que evitar:

  • Máquina de fazer sorvete: Eu sei, é tentador, mas vai ocupar um espaço enorme no seu armário.
  • Máquina para fazer pão: A idéia é maravilhosa – pão quentinho e fresco de manhã, mas com o tempo você vai deixar isso de lado e descer pra ir na padaria da esquina.
  • Utensílios com uma função: Pipoqueira, moedor de noz moscada, fritadeira funda (bebe óleo assustadoramente), máquina de fazer arroz (a não ser que você seja um oriental tradicional), fonte de chocolate (Gigante Olofeu tem um), pilão de cerâmica. Eu já habitei o mesmo espaço que esses utensílios (tirando a fonte de chocolate) e depois da euforia inicial, todos ficaram esquecidos.
  • Utensílios muito fantasiosos: Podem ser divertidos, mas com o tempo a faca de pão com formato de baguette pode tomar um espaço desnecessário na gaveta. Os espetinhos de queijo com um queijinho na ponta também.
  • Coisas para serem usadas em ocasiões especiais: a vida é uma ocasião especial, então trate de usar essas coisas que você guarda para usar uma vez por ano. Minha avó tinha uma louça inglesa lindíssima que nunca foi usada inteira aguardando uma ocasião especial. Resultado: acabou sendo repartida entre familiares.

Sentimentos dúbios:

  • Microondas: Tem gente que tem horror, tem gente que não vive sem. Eu prefiro evitar mas já tentei cozinhar nele, o que resultou em coisas borrachudas e pálidas. Para esquentar uma comida rapidamente, é muito prático. Para esquentar brownie e petit-gateau congelado, não tem coisa melhor. Pra derreter chocolate é tudo de bom. Pipoca então, é só festa. Mas a comida esfria mais rápido que o normal e o arroz fica ressecado (ponho uma colher de água nele para evitar isso). Empadões e massas viram uma massaroca do mal. Já vi médico indiano falando que é uó, totalmente antinatural. Prefiro evitar o uso, mas tenho.

Sabedoria do dia: na cozinha, nem sempre menos é mais. Evite o “demais”. E tenha armários!

Casa charmosa em Buenos Aires

20 Maio

Jorge e Verônica são os proprietários dessa charmosa casa dos anos 20. Ele é arquiteto e ela tem uma grife de roupas de chuva, a Seco Rainwear. Eles quiseram manter certos detalhes, como o piso original da época e a parede com resquícios de pinturas anteriores.

Eu adorei essa cozinha-bar! E o detalhe do letreiro antigo ficou o maior barato, já fiquei querendo um. Reparem na cor das cadeiras e das luminárias.

Abaixo uma outra vista da cozinha, a da porta de entrada. E a mesma cor está na parede e aparecendo no letreiro. As cadeiras e a mesa abaixo são comuns nos cafés de Buenos Aires.

Esse proprietários são uns sortudos, quanta coisa bonita tem para garimpar em terras poteñas!

Fontes: Frau Haselmayer, Mixr.se