Tag Archives: dicas

Lava roupa todo dia, que agonia!

11 Mar

Na época da minha mãe, ensinavam no colégio público alguns macetes domésticos como pregar botões, fazer bainha, etc. Com o tempo isso sumiu (junto com as aulas de francês) e, no meu caso, nunca aprendi nada disso na escola. Aprendi química inorgânica e cálculos matemáticos que caíram no esquecimento total…juro que adoraria ter aprendido a pregar botão, hoje em dia seria bem mais útil na minha vida quando eles teimam em cair das minhas camisetas.

Passado o momento desabafo, hoje é domingo e um dia maravilhoso para encarar aquele cesto de roupa da semana…quédizê… Aqui em casa os dois encaram, mas a verdade é que eu tenho as minhas manias e o homem nesse ponto é mais prático: máquina de lavar e tchau! Eu sou daquelas adeptas da alquimia de quarar roupa, usar vinagre branco, bicarbonato de sódio e…panacéia curativa de todos os males: Vanish! Tento esvaziar a mente e atingir o branco absoluto enquanto lavo as roupas, mas me conforto quando chega no off-white. Bem, vamos ao ponto agora:

Peguei essas dicas no Impecável – Dicas e Soluções para Manter sua Casa Limpa e Organizada”, adoro esse livro e depois que consegui salvar panela queimada com vinagre e bicarbonato de sódio, passei a considerá-lo um oráculo junto com Sebastiana Quebra-Galho.

  • Usar a menor quantidade possível de produtos químicos e calor para as roupas durarem mais.
  • Usar água quente só se as roupas estiverem muito sujas. Do contrário, a morna já basta. Água quente em tecidos delicados, jamais.
  • Nylon somente em água fria.
  • Lavar roupas brancas e coloridas separadamente, melhor ainda se separar por tons (azul claro+verde claro/azul escuro+cinza escuro/ preto/ marrom/vermelho) – nunca fiz isso, mas achei interessante (meu marido vai surtar lendo isso, já consigo vizualizar).
  • O melhor para amaciar tecidos é colocar 1/2 xíc de bicarbonato no sabão em pó e depois 1/2 xíc de vinagre branco no ciclo de enxágue (vou testar isso).
  • Para lavar lã, usar um shampoo barato. A lã fica meio dura com sabão em pó.
  • Sabão líquido é geralmente melhor que o em pó porque deixa menos partículas nas roupas. Mas as lavadoras que têm abertura na frente funcionam melhor com a versão em pó.
  • Se alguém estiver gripado, adicione  1/4 de xíc de suco de limão ou 1/4 de xíc de vinagre na água do enxágue para remover bactérias (essa pra mim é nova).
  • Se tiver um baby em casa com pele sensível, adicionar 1/4 de xíc de vinagre na água do enxágue.

Como quarar roupas (ou branco absolut )

A dica é esfregar toda a roupa com sabão de coco e deixá-la no sol. Depois lavar normalmente. Tem gente que põe num saco plástico no sol e também no sereno. Achei exótico.
*Atualização 16.03.12 – Exótico, mas funciona mesmo! Consegui clarear umas roupinhas minhas de quando era bebê e que estavam beeem manchadas de armário! Coloquei Semorim achando que era mancha de ferrugem e nada! Já tinham tentado lavar antes e não saiu, daí coloquei no sol com saco plástico e sabão de coco e deixei por horas…clareou mesmo! As manchas restantes foram embora com molho+vanish white, ficaram branquinhas! Adorei!

Cheiro de suor 

Algumas roupas, mesmo lavadas, soltam cheiro desagradável de suor assim que você começa a transpirar (e com desodorante!). As sintéticas são campeãs. Para evitar isso lave a roupa como de costume e mergulhe numa solução de água com 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio no ultimo enxágüe. No Rio de Janeiro, eu compro 1kg de bicarbonato por R$3 e mariola na Casas Pedro. Hoje eu lavei um pote de Vanish branco e coloquei o bicarbonato para lavar roupas nele. Ainda ficou com um vestido de bolinhas! Nunca reaproveite o pote para coisas comestíveis, pelamordedeus!

Existem 500 mil dicas na internet e mais outras 500 com a vovó mais próxima. Tentarei ter uma postura mais ecológica e usar mais produtos naturais como bicarbonato e vinagre para amaciar as roupas. Será que consigo?

Dicas para uma sempre casa limpa

12 Jan

Gostaria muitíssimo de dizer que descobri a fórmula mágica para deixar a casa arrumada em um segundo, mas na verdade é um conjunto de hábitos para deixá-la sempre limpa.

2011 foi um ano tão bagunçado aqui por conta das obras que decidi : em 2012 vou ter uma vida mais organizada. Acho que todo mundo quer, mas a casa sempre parece um “saco sem fundo”, a arrumação nunca termina.

Para a energia fluir melhor pela casa (eu acredito nessas coisas), descobri umas dicas bem úteis em um blog que eu adoro e recomendo, o Zen Habits:

1- Nunca deixe louça suja na pia: não adianta, ela se multiplica que nem os gremlins. Então, terminou de comer, lave a louça, limpe o balcão e a pia. Tem que virar hábito.

2- Limpe o banheiro ao usá-lo: lave a pia, passe a escovinha no vaso, deixe o chão limpo, tudo bem rápido. São só alguns minutos, mas vai fazer muita diferença.

3- Juntar as coisas espalhadas: a gente sempre vai deixando pela casa objetos que vai usando ao longo do dia. Na minha mesa agora tem um catálogo de móveis, um gnomo, uma bolsa de moedas, uma caixa de metal, uma caixa de óculos…ou seja, nada que estou utilizando agora. Cada coisa tem que ter um lugar para morar e deve ficar nela a maior parte do tempo.

4- Nunca deixe as roupas espalhadas: sou a rainha de começar a juntar um bolinho de roupas no armário ou em alguma cadeira. Se ela pode ser usada de novo, é pendurada no armário antes de ficar amassadíssima. Se está realmente suja, cesto nela! Esses lugares intermediários não podem mais existir.

5- Jogar o lixo fora todos os dias: mesmo que ele não esteja cheio. O lixo orgânico sempre precisa ir embora por conta do cheiro e das mosquinhas chatas que vêm morar perto dele.

6- Arrume um pouco a casa antes de sair, se for possível: eu sei que todo mundo sai de casa correndo, mas se tiver um tempinho, dê uma geral rápida de 5 minutos. Voltar para a casa com tudo arrumado é maravilhoso.

7- Fazer a cama ao acordar: cama desarrumada dá um aspecto de quarto bagunçado, mesmo que o resto esteja arrumado. Antes ou depois do banho, não importa, mas tem que ser antes de você sair de casa.

8- Se livre das pilhas de coisas: sempre tem um cantinho que começa a juntar uma pilha de papéis, livros, cacarecos. Isso tem que ir embora, não deixe esses acúmulos tirarem seu humor.

9- Geladeira sem papéis: eu tenho mania de usar geladeira como lembrete de coisas. Confesso que é meu marido quem tira os papéis dela. Agora nós só temos lembretes fotográficos de amigos que vieram nos visitar, bem melhor! 🙂

10- Deixe as superfícies livres: mesas, balcões, mesinhas…toda superfície plana chama coisas para habitarem em cima dela. Se for um adorno, tudo bem, o problema é quando começam a aparecer diversas coisas aleatórias fazendo aquela confusão. Ponha ordem nesse coreto!

O caos está sempre nos espreitando em uma casa, então o que podemos fazer para minimizá-lo é sempre útil. Que a Santa Martha Stewart da organização nos ajude!

Fonte: Apartment Therapy

Aprendendo a cozinhar vendo TV (ou sentada no computador).

31 Ago

Sem forno ainda e já imaginando o dia em que finalmente poderei usá-lo fazendo uma enlouquecida Festa de Babette, nas horas livres vejo um canal novo chamado Bem Simples.

Confesso que é necessário abstrair a inexperiência dos apresentadores e focar nas receitas e dicas, algumas bem valiosas. Para fazer pão, não pode jogar o sal muito perto do fermento biológico por ele ser bactericida. Pode acabar inibindo o crescimento da sua massa.

Descobri o motivo de fritar o arroz de risoto (arbóreo ou carnaroli) antes de jogar o vinho: selar o grão para que ele não fique muito mole durante o cozimento. E outra coisa me intrigava, por que diachos colocavam certas massas na geladeira antes de ir ao forno, não vai ficar tudo quente? Elementar meu caro Watson…se você quer fazer alguma receita crocante que leve manteiga, tem que ir pra geladeira antes para que ela demore mais a derreter no forno enquanto a massa cozinha. Se ela já estiver mole, a massa ficará mais úmida e menos crocante. Meu lado científico adora esse tipo de macete!

O programa “A Confeitaria” é um dos meus preferidos. Mais do que saber fazer coisas maravilhosamente calóricas, é legal conhecer como algumas coisas que parecem complicadíssimas são feitas…e às vezes nem são complicadas assim.

Tem o da chef Carla Pernambuco, só de receitas brasileiras. O programa é bem legal e aprendi a fazer uma farofinha com mandinga pra “adoçar” pessoas. Toda vez que invento alguma coisa na cozinha (a maioria das vezes só faço macarrão mesmo, tristeza), sai uma coisa saborosa. Acabei aprendendo por osmose, só de ficar olhando as coisas sendo feitas. Incrível, mas funciona!

Mesmo que você só saiba cozinhar a pizza semi pronta do supermercado, hoje em dia é muito mais fácil aprender a fazer comida. E nem precisa ter TV a cabo, existem vários sites com vídeos. Vou deixar os que gosto aqui:

Com vídeos

Panelinha: Site da Rita Lobo, que faz coisas deliciosas (e continua linda e magra, como? :D).

Stone Soup: A proposta é fazer comidas rápidas com poucos ingredientes.

Jamie Oliver: nem preciso comentar.

Vegetarianos

Longe de ser a imagem de “vegetariana-natureba-que -só-come-folha”, eu amo comer…mais até do que gostaria e que a silhueta permite.

Então por favor…crepes, massas, risotos, tortas salgadas, panquecas, pizza, couscous marroquino, pastel, saladas turbinadas e comida viva saborosa entram no hall da felicidade plena.

Quer me matar de desgosto? Me convide para uma churrascaria rodízio e diga que é cheio de salada. Vou sair de lá costurando um bonequinho de vodu em sua homenagem.

Vegê Gourmê: Blog da chef Michele Maia, já tive o prazer de ir no seu restaurante de Búzios, que infelizmente mudou de cidade e deixou saudades.

Adrienne Eats: Designer gráfica (me identifiquei), ela põe receitas saudáveis e com fotos bacanas.

101 Cookbooks: Fotos lindas…pudera! É fotógrafa e cozinheira.

Então…não tem mais desculpas para colocar a mão na massa. Eu tenho uma! Cozinha caótica ainda…na pressa vou no macarrão. Mas com massa italiana e tomate orgânico para manter a dignidade! Tá pensando o quê? 😛

Aspargos da feira perto de casa, o feirante quase me enxotou de tanto que eu chorei preço “mas é muito chororôoo”- ele quase bradava em desespero. 

Reformando a casa – parte 1

7 Jul

Uma coisa que todos sabem: a gente sabe quando a obra começa e não sabe quando ela termina. O custo no final geralmente é maior do que você imaginou, sempre tem um imprevisto: um cano estranho, uma fiação velha, um vazamento que surge…nada animador! Eu não sou expert em obra, não sou arquiteta, nem decoradora, nem engenheira, mas sei aonde dói o bolso.

Contratamos um arquiteto amigo, o Felipe Alves, que foi essencial. Sem a ajuda dele, a obra levaria um século e muitos reais a mais. Fora as soluções, a troca de idéias, enfim…recomendo ter um arquiteto de confiança por perto!

Em algumas coisas tivemos que pesquisar por contra própria, fugir dos malandros que tentavam engordar a conta achando que não iria fazer diferença para a gente, lidar com instaladores que sumiam do mapa. Reformar é uma aventura na selva!

Tivemos que comprar muitas luminárias e lâmpadas, o primeiro orçamento foi feito na Zona Sul…quase caímos para trás. Partimos então para Benfica, na famosa rua dos lustres e qual não foi nossa surpresa de ter a conta reduzida mais do que a metade? Fomos na famosa loja Casarão dos Lustres, mas não achamos uma diferença muito significativa nos preços. Andamos mais um pouco e entramos na Metalustres e nossa compra foi toda feita lá. Santa Economia, Batman!

Para revestimentos e metais, fomos no Shopping Frei Caneca, na Rua Frei Caneca que é o paraíso de quem está reformando a casa. Lá você encontra coisas bem mais em conta também. Fomos direto nessa loja por saber que era de confiança e de rápida entrega. O vendedor Flávio já ficou nosso parceiro e nos atendia com a maior paciência do mundo.

A parte elétrica foi toda feita com a equipe do arquiteto, mas eles sinalizaram que os cabos que vinham do térreo eram antigos e mais finos do que o recomendado. Como era um serviço por fora do escopo da obra, queriam nos cobrar os olhos da cara. Eu e Gui corremos para tentar achar alguém que pudesse fazer isso por um preço mais justo. No final das contas, os amigos dele do trabalho se prontificaram a nos ajudar e passaram o sábado lá trocando essa fiação. Foram muitas aventuras nesse dia, no final todo mundo já azul de fome…partimos para uma super pizza e refrigerante!

Janus, Everton e Alexandre Regis: toda a amizade e carinho demonstrada nesse dia vai ficar para sempre conosco! Nunca vamos esquecer as risadas desse dia e o que vocês fizeram por nós! Obrigada, amigos!!! Vocês foram 1.000!!!

E os espertinhos de plantão que se cuidem, quem tem amigos que sabem das coisas não cai nessas conversinhas! Por essas e outras que coloco essas dicas aqui, para tentar ajudar quem está passando pela mesma coisa. Dona Jura com certeza ia gritar: Não é brinquedo não!

Como fazer mudança

27 Abr

Uma vez eu fui na casa de uma menina que estava se mudando para o Japão estudar moda. Ela estava vendendo todas suas roupas, sapatos, livros e o que mais você quisesse comprar. Aquilo me deixou impressionadíssima e fui conversar com ela. “Como você consegue?” e ela respondeu: “Necessidade. Mas quer saber? Faça isso ao menos uma vez na vida e vai ver que sensação boa é vender todas suas coisas.”

Para os mais apegados e para quem vai se mudar apenas para um outro bairro (e não para o Japão), comecei a pesquisar dicas para minha próxima mudança. A primeira que fiz foi com ajuda da caçamba do carro dos meus pais e a boa vontade deles de carregar as coisas (nessas horas você sabe que amor de pai e mãe é infinito MESMO).

Agora vai ser mudança pra valer! Pegue seu rolo de fita crepe, pincel atômico, etiquetas, plástico bolha e vem comigo!

1- Comece a separar o que você não usa diariamente. Objetos decorativos, roupas fora da estação, CDs, livros, fotos.

2- Depois de embalados, acomode-os nas caixas e escreva para onde eles devem ir: cozinha, sala, quarto. Você pode colar um adesivo colorido também para cada ambiente e identificar as caixas mais rápido. Existem fitas grossas com diversas cores em papelarias. Exemplo de identificação de caixa: COZINHA: POTES E PANELAS.

3- Uma outra dica alternativa: numerar os ambientes e colocar na caixa. 01-sala 02- cozinha…daí as caixas com os números iguais vão para o mesmo ambiente. Tem gente que até coloca a numeração na planta da residência e entrega para a empresa de mudança. Daí o pessoal da transportadora sabe aonde colocar cada caixa.

4- Não tente fazer tudo de uma vez. Inicie com as coisas de pouco uso senão você vai se estressar à toa procurando aquela blusa no meio das caixas.

5- Documentos, passaportes, dinheiro, objetos de valor, jóias. Tudo isso vai junto com você no carro.

6- Se for reutilizar lustres, persianas, cortinas e tapetes no novo apartamento, retire-os no dia anterior. E se for usar os que já tem no apartamento novo, mande lavá-los com uma semana de antecedência.

7- Para coisas que continuarão no apartamento, colocar um aviso para os funcionários da transportadora: NÃO LEVAR.

8- Se puder, guarde os aparelhos eletrônicos nas suas embalagens originais.

9- Separe um kit de bens de primeira necessidade:  louça e talher para as primeiras refeições, detergente, sabonete, toalha, estojo de primeiros socorros, objetos de higiene pessoal, produtos de limpeza, carregadores de celular, laptop.

10- Muita calma nessa hora, tire fotos do processo se for possível para recordar depois. Para os mais pinguços festivos, guardar uma garrafa de prosecco para comemorar o sucesso da mudança não é má ideia, hein? Só separe as taças num lugar fácil porque com copo de plástico só dá para apreciar uma cidra cereser, vade retro!

Agora, se você é uma pessoa louca radical veja esse vídeo para se inspirar. Eu hein?

Foto: Alain Delorme.

Buenos Aires: para decorar a casa e comer bem (dicas finais)

21 Abr

A maior surpresa da viagem foi redescobrir Buenos Aires. Na primeira vez que fui ainda estava na faculdade, fui com meu melhor amigo, gastei todas as minhas economias e voltei com um piercing no nariz para o horror da minha mãe. Voltei com uma calça jeans de boca larguíssima, alfajores Havanna e amizades que duram até hoje. Desta vez eu não fui no Caminito, nem no estádio do Boca Juniors, nem na Calle Florida e até hoje não sei o que são as Galerias Pacífico. Foi uma outra viagem, totalmente diferente. A mochila virou mala, o companheiro é o marido, o albergue virou hotel. E o mais incrível é que a alegria de descobrir coisas novas continuou a mesma.

E ainda rolou uma caça às luminárias para a casa nova. Porque além de ter o melhor doce de leite do mundo, vinhos estupendos e desenhistas maravilhosos, a Argentina é craque no design (para compensar o futebol, desculpe Maradona!). Fomos procurar em mais duas lojas:

L’Ago: Em três endereços, dois na mesma rua. Luminárias pendentes lindíssimas. Quando tem a Feira de San Telmo, vira um deus-nos-acuda, não vá no domingo.

Iluminación Agüero: Saímos do Rio com a indicação de falar com a vendedora Eugenia (que fala português) na loja 1414 da Calle Armenia, mas rodamos e não encontramos o número, será que desapareceu? Fomos na outra loja da mesma rua (Armenia 1954) e vimos luminárias lindas, mas gigantescas. E outro detalhe: não é qualquer uma que você pode comprar não! Em Buenos Aires a voltagem é de 220v, então algumas luminárias podem dar problema.

Uma loja que eu lamentei imensamente ter fechado: Fabro. Não cheguei a conhecer, mas me recomendaram e vi fotos, achei linda. No entanto, chegamos na porta e estava tudo desmontado. E no mesmo dia demos com a cara na porta da Papelera Palermo, chegamos no dia da mudança para o endereço novo na Calle Cabrera 5227. A loja ainda estava sendo arrumada. Fiquei arrasada porque estava crente que ia mergulhar naqueles papéis coloridos e sair que nem um carro alegórico com tubos de papel até o pescoço.

Para meu consolo descobri na Calle Thames a Tintha Stationary. Não era permitido tirar fotos dentro da loja, mas a vendedora muito simpática disse que tinha fotos no site. Comprei dois caderninhos, mas a vontade era de levar a loja inteira. Uma graça!

Agora, se depois das andanças você quer comer bem, em Buenos Aires lugar é que não falta. E olha que éramos uma dupla de vegetarianos no país do bife de chorizo e parrillas famosas! Tivemos algumas das melhores refeições de nossas vidas a um ótimo preço. Os lugares que conhecemos:

Cafe San Juan: do chef Lele. Sentamos no balcão e foi a maior diversão. Estava lotado e ficamos espantados com a rapidez que faziam pratos divinos. De vez em quando subia um fogaréu da panela…espetacular! Depois que os garçons descobriram que éramos brasileiros, foi a maior chacota. Até Lele veio falar conosco, adorei! (Infelizmente falamos portuñol e não entendemos tudo).

878: David Lynch ia curtir, parece um portal para outro mundo. Não tem letreiro, somente uma porta enorme numa rua calma. Comida deliciosa, falam super bem dos drinks, mas fiquei no vinho…sensacional por sinal. Fui ao céu com o Creme Brulée.

Salgado: Fechamos a viagem nesse lugar simpático, garçons atenciosos e comida saborosa. A sobremesa não é o forte, mas a refeição foi impecável. Não preciso falar dos vinhos né? Baco passa as férias na Argentina, só pode.

Vou parar por aqui senão vou ficar discorrendo só sobre comidas por horas. Encontrei dicas valiosas aqui (fora as dicas do pessoal do Hotel Querido, todas incríveis):

Salty Lips

Vegetarianos

Revista TPM

Da próxima vez vou alugar toda a casa do Coppola  e ir com a famiglia. Mentira, não vou não porque fico com medo do Don Corleone dar as caras por lá.

Buenos Aires: para decorar a casa (parte 2)

18 Abr

Ficamos no América del Sur Hostel por dois dias, pois os lugares que gostaríamos de ficar em Palermo estavam lotados no final de semana. Procuramos também na Pousada Abode e no Hotel Rugantino (o Querido era nossa primeira opção), todos foram muito atenciosos, mas infelizmente sem vagas. No final das contas, até que foi bom ficar no Hostel no sábado, pois ficamos perto da famosa Feira de San Telmo que acontece aos domingos. O entorno do Hostel não é muito simpático…ruas escuras e esburacadas. Não passamos por nenhum perigo além do de pisar nos (muitos) presentinhos de totós. Ainda assim é bom andar sempre alerta (aprendi quando era escoteira)!

Só de perambular pelas lojinhas e cafés você já fica inspirado em revolucionar a sua casa. Algumas são dignas de cenários do Almodóvar. Depois da Feira de San Telmo, entrei por um acaso nesse lugar que foi um verdadeiro achado!

A loja Qualquier Verdura tem cozinha, banheiro, quarto, sala, quintal e até um jardim com uma fonte. Tudo cheio de cores vibrantes e objetos divertidos, alguns novos e outros bem antigos. De lá levei esses guardanapos de tecido colorido e esse descanso de mesa marrom. A caneta de Rudolph é da Coucou (outra loja que vale a pena ir, só de coisas fofas).

Em Buenos Aires você encontra em diversos lugares uma jarra de pinguim que já me deixou enlouquecida antes de viajar. Foi a primeira compra que fiz em Palermo, numa lojinha escondida de decoração. Vi essa jarra em diversas lojas e até em uma capa de livro sobre vinhos argentinos. Queria saber qual é a origem dela.

E na loja Capital, em Palermo, encontrei um bule turquesa e me agarrei a ele. Meu marido é uma pessoa muito zen e não se importou em ter uma esposa agarrada a um bule decorativo. De repente ele pode até ir ao fogo, mas quem disse que eu quero queimar meu bule de chapeleiro louco?

Como diria Hebe: “Ele não é uma grafinha?” Nessa loja também encotrei uma leiteira com tetas de vaca e outra em formato de embalagem de leite, todos da marca Gato – que tem objetos bem bacanas para casa. Curti muito!