Tag Archives: organização

Dicas para uma sempre casa limpa

12 Jan

Gostaria muitíssimo de dizer que descobri a fórmula mágica para deixar a casa arrumada em um segundo, mas na verdade é um conjunto de hábitos para deixá-la sempre limpa.

2011 foi um ano tão bagunçado aqui por conta das obras que decidi : em 2012 vou ter uma vida mais organizada. Acho que todo mundo quer, mas a casa sempre parece um “saco sem fundo”, a arrumação nunca termina.

Para a energia fluir melhor pela casa (eu acredito nessas coisas), descobri umas dicas bem úteis em um blog que eu adoro e recomendo, o Zen Habits:

1- Nunca deixe louça suja na pia: não adianta, ela se multiplica que nem os gremlins. Então, terminou de comer, lave a louça, limpe o balcão e a pia. Tem que virar hábito.

2- Limpe o banheiro ao usá-lo: lave a pia, passe a escovinha no vaso, deixe o chão limpo, tudo bem rápido. São só alguns minutos, mas vai fazer muita diferença.

3- Juntar as coisas espalhadas: a gente sempre vai deixando pela casa objetos que vai usando ao longo do dia. Na minha mesa agora tem um catálogo de móveis, um gnomo, uma bolsa de moedas, uma caixa de metal, uma caixa de óculos…ou seja, nada que estou utilizando agora. Cada coisa tem que ter um lugar para morar e deve ficar nela a maior parte do tempo.

4- Nunca deixe as roupas espalhadas: sou a rainha de começar a juntar um bolinho de roupas no armário ou em alguma cadeira. Se ela pode ser usada de novo, é pendurada no armário antes de ficar amassadíssima. Se está realmente suja, cesto nela! Esses lugares intermediários não podem mais existir.

5- Jogar o lixo fora todos os dias: mesmo que ele não esteja cheio. O lixo orgânico sempre precisa ir embora por conta do cheiro e das mosquinhas chatas que vêm morar perto dele.

6- Arrume um pouco a casa antes de sair, se for possível: eu sei que todo mundo sai de casa correndo, mas se tiver um tempinho, dê uma geral rápida de 5 minutos. Voltar para a casa com tudo arrumado é maravilhoso.

7- Fazer a cama ao acordar: cama desarrumada dá um aspecto de quarto bagunçado, mesmo que o resto esteja arrumado. Antes ou depois do banho, não importa, mas tem que ser antes de você sair de casa.

8- Se livre das pilhas de coisas: sempre tem um cantinho que começa a juntar uma pilha de papéis, livros, cacarecos. Isso tem que ir embora, não deixe esses acúmulos tirarem seu humor.

9- Geladeira sem papéis: eu tenho mania de usar geladeira como lembrete de coisas. Confesso que é meu marido quem tira os papéis dela. Agora nós só temos lembretes fotográficos de amigos que vieram nos visitar, bem melhor! 🙂

10- Deixe as superfícies livres: mesas, balcões, mesinhas…toda superfície plana chama coisas para habitarem em cima dela. Se for um adorno, tudo bem, o problema é quando começam a aparecer diversas coisas aleatórias fazendo aquela confusão. Ponha ordem nesse coreto!

O caos está sempre nos espreitando em uma casa, então o que podemos fazer para minimizá-lo é sempre útil. Que a Santa Martha Stewart da organização nos ajude!

Fonte: Apartment Therapy

Como fazer mudança

27 Abr

Uma vez eu fui na casa de uma menina que estava se mudando para o Japão estudar moda. Ela estava vendendo todas suas roupas, sapatos, livros e o que mais você quisesse comprar. Aquilo me deixou impressionadíssima e fui conversar com ela. “Como você consegue?” e ela respondeu: “Necessidade. Mas quer saber? Faça isso ao menos uma vez na vida e vai ver que sensação boa é vender todas suas coisas.”

Para os mais apegados e para quem vai se mudar apenas para um outro bairro (e não para o Japão), comecei a pesquisar dicas para minha próxima mudança. A primeira que fiz foi com ajuda da caçamba do carro dos meus pais e a boa vontade deles de carregar as coisas (nessas horas você sabe que amor de pai e mãe é infinito MESMO).

Agora vai ser mudança pra valer! Pegue seu rolo de fita crepe, pincel atômico, etiquetas, plástico bolha e vem comigo!

1- Comece a separar o que você não usa diariamente. Objetos decorativos, roupas fora da estação, CDs, livros, fotos.

2- Depois de embalados, acomode-os nas caixas e escreva para onde eles devem ir: cozinha, sala, quarto. Você pode colar um adesivo colorido também para cada ambiente e identificar as caixas mais rápido. Existem fitas grossas com diversas cores em papelarias. Exemplo de identificação de caixa: COZINHA: POTES E PANELAS.

3- Uma outra dica alternativa: numerar os ambientes e colocar na caixa. 01-sala 02- cozinha…daí as caixas com os números iguais vão para o mesmo ambiente. Tem gente que até coloca a numeração na planta da residência e entrega para a empresa de mudança. Daí o pessoal da transportadora sabe aonde colocar cada caixa.

4- Não tente fazer tudo de uma vez. Inicie com as coisas de pouco uso senão você vai se estressar à toa procurando aquela blusa no meio das caixas.

5- Documentos, passaportes, dinheiro, objetos de valor, jóias. Tudo isso vai junto com você no carro.

6- Se for reutilizar lustres, persianas, cortinas e tapetes no novo apartamento, retire-os no dia anterior. E se for usar os que já tem no apartamento novo, mande lavá-los com uma semana de antecedência.

7- Para coisas que continuarão no apartamento, colocar um aviso para os funcionários da transportadora: NÃO LEVAR.

8- Se puder, guarde os aparelhos eletrônicos nas suas embalagens originais.

9- Separe um kit de bens de primeira necessidade:  louça e talher para as primeiras refeições, detergente, sabonete, toalha, estojo de primeiros socorros, objetos de higiene pessoal, produtos de limpeza, carregadores de celular, laptop.

10- Muita calma nessa hora, tire fotos do processo se for possível para recordar depois. Para os mais pinguços festivos, guardar uma garrafa de prosecco para comemorar o sucesso da mudança não é má ideia, hein? Só separe as taças num lugar fácil porque com copo de plástico só dá para apreciar uma cidra cereser, vade retro!

Agora, se você é uma pessoa louca radical veja esse vídeo para se inspirar. Eu hein?

Foto: Alain Delorme.

Como a Páscoa e um livro podem mudar sua casa.

25 Abr

A vida pós-Páscoa não á fácil. Primeiro porque você já mergulhou no bacalhau, no pavê da sua tia, no café com biscoitinho (para a digestão) e ao chegar em casa ainda tem um tsunami de chocolate te esperando. Daí me recordo das palavras do vizinho no elevador: As pessoas falam de ano novo, mas é na Páscoa que temos que refletir. Olho o chocolate, olho a casa e as coisas fora do lugar, tomo um chá de camomila e olho minha cintura. Acho que temos muito trabalho por aqui.

Fui olhar a despensa. A Páscoa me fez refletir e ver a qualidade das coisas que eu como. Bisnaga de doce de leite, macarrão, pão, biscoitinhos e chocolate são o hit da cozinha. Tratei de ir no Hortifruti dar um jeito nisso.

O computador estava lento, minha produtividade mais lenta ainda…e o dia passa rápido nas redes sociais. Foco djá! Formatei o computador e aos poucos estou organizando esta ferramenta maravilhosa, tão maravilhosa que você passa o dia inteiro nela sem perceber. Isso também vai mudar.

E a arrumação? Vixe maria, agora o negócio ficou brabo demais. A papelada, as coisas que se multiplicam nas superfícies horizontais…pior que coelho! De pernas pro ar ficamos no feriado e a casa acompanhou o ritmo.

Então essa vai ser a reflexão de Páscoa:

“Procure cercar-se de coisas belas e úteis. Permita a si mesmo livrar-se do restante. Há muitas coisas que só ocupam espaço e acabam por deprimir você.” (Donna Smallin)

Gosto do jeito simples e direto que ela escreve. Tenho o Organize-se e outro que pararam de publicar, uma versão pocket só com dicas rápidas. Bem útil!

Já que a Páscoa representa passagem, melhor recomeçar com a casa mais bonita. Arrumando o lar e algumas atitudes, repensando e colocando em prática o mais rápido possível.

“Comece pela bagunça diária. Faça o que for necessário para cuidar da correspondência, da louça, da lavagem de roupa. Depois arrume o que está fora do lugar.”

Coelho, desta vez me dá uma ajuda na arrumação?

Simplificando a vida com John Maeda

2 Abr

Enquanto crianças, nunca entendemos o “me deixe em paz, estou ocupado” observando nossos pais sentados com a mão na cabeça. Conversas longas de família no telefone. Problemas, muitos problemas. Hoje os problemas chegam por e-mail, bem mais rápido. Complexo. Daí em 2008 me deparei com esse livro do John Maeda. Nunca tinha ouvido falar dele, mas quando comecei a folhear o livro fiquei tão intrigada que levei na mesma hora e fui lendo no ônibus. Fiquei perplexa em saber que ele é designer gráfico, artista visual e cientista da computação além de  professor no MIT. Como nunca me haviam falado sobre ele?

Ele inicia o livro explicando sobre o que o motivou, como utilizar o livro e o porquê de cada coisa. Depois entra nas 10 Leis da Simplicidade:

1 Reduzir – A maneira mais simples de alcançar a simplicidade é por meio de uma redução conscienciosa.

2 Organizar – A organização faz com que um sistema de muitos pareça de poucos.

3 Tempo – Economia de tempo transmite simplicidade.

4 Aprender – O conhecimento torna tudo mais simples.

5 Diferenças – Simplicidade e complexidade necessitam uma da outra.

6 Contexto – O que reside na periferia da simplicidade é definitivamente não periférico.

7 Emoção – Mais emoções é melhor que menos.

8 Confiança – Na simplicidade nós confiamos.

9 Fracasso – Algumas coisas nunca podem ser simples.

10 A única – A simplicidade consiste em subtrair o óbvio e acrescentar o significativo

E o livro é totalmente escrito numa linguagem simples e cheio de observações espirituosas.

“Os bebês são exemplos dessas máquinas complexas que, embora pequenas, exigem atenção constante a ponto de levarem a maioria dos pais à loucura.”

“O lar é normalmente o primeiro campo de batalhas que vem à mente quando enfrentamos o desafio diário de administrar complexidade. As coisas parecem multiplicar-se. Há três estratégias consistentes para alcançar a simplicidade no universo doméstico: 1) comprar uma casa maior, 2) colocar tudo o que você realmente não necessita num depósito, 3) organizar seus bens materiais de maneira sistemática.”

O livro serve de reflexão tanto para desenvolvedores de programas quanto para donas-de-casa às voltas com a organização do lar. No final, tudo se resume a criar um sistema que funcione para você e que o permita fluir um pouco mais na rotina, evitando um pouco as mãos na cabeça (quase arrancando os cabelos).

Para saber mais:

Blog Laws of Simplicity.

Twitter do John Maeda.

Coisas de casa

15 Jun

Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. ~Lewis Carroll

No início era o verbo…e no meu caso o verbo era TER.

Não importava se era útil, um dia poderia precisar. E quando isso acontecia – a decepção: estava mofado, velho ou desbotado. Passo adiante, dependendo do estado. Inutilizado: lixo. Podendo ser usado: caridade.

A solução foi cuidar com afinco: levar os livros para banhos de sol matinais, horas limpando todos os sapatos, roupas de inverno lavadas à mão para tirar o cheiro de mofo, abrir as gavetas para ver se estava tudo ok. Aqui em casa tem muita umidade, é o preço por uma vista arborizada. Sinceramente, ainda assim estou no lucro, mas preciso manter as coisas arejadas – senão as perco. Virou um TOC.

Até que um dia percebi que havia me tornado babá dos objetos. Coincidentemente, li essa matéria sobre  O Desafio das 100 Coisas na Vida Simples. Achei genial! Mas cadê a coragem de fazer algo tão ousado? Me lembro que fiquei meses choramingando porque tinha dado meus livros de infância…como uma pessoa que tem esse tipo de apego pode querer se desfazer de quase tudo?

Quer saber mais? 100 Thing Challenge