Tag Archives: receita

Vídeos de receitas, quem resiste?

10 Fev

Tenho visto alguns e fico encantada com a delicadeza da filmagem e trilha sonora.
Tento me inspirar e não sair jogando o tabuleiro pelo ares toda vez que uma receita dá errado. Esses vídeos deixam você “super cool” e o ato de cozinhar vira uma experiência maravilhosa e não somente algo para saciar seu estômago. Bem…é o que eu tento acreditar. O vídeo abaixo faz você se sentir o arauto da manhã fazendo pão de madrugada e regando as plantas sonolentas no intervalo:


Coisa linda mesmo.

Para fazer um mojito e transformar-se em um romântico de Cuba nesta sexta, recomendo:

O primeiro vídeo que vi foi desse bolo de beterraba, confesso que morri de amores, mas as beterrabas que moram na minha geladeira continuam lá esperando…quem sabe hoje eu não darei um destino digno para elas?

Bom final de semana!

Começando 2012

8 Jan

No início as promessas sempre nos animam: malhar, dieta, ser mais organizado, economizar para fazer aquela viagem, se dedicar mais aos estudos, etc. Também fiz as minhas promessas e uma delas é fazer uma dieta detox, comer mais vegetais e caminhar todos os dias. E isso é só o começo!

Obviamente começarei amanhã, segunda feira. E tentarei não desistir na terça!

Confesso que comi mais pasta no ano passado do que qualquer italiano e a cintura, meu amigo, não mente nunca! Para reverter isso, aprendi a fazer uma salada vapt-vupt.

Salada de Grão-de-Bico e Brócolis

-1 cabeça de brócolis, picada em pequenas “árvores”.

-2 latas de grão-de-bico escorridas (400g).

-2 colheres de sopa de mostarda dijon (pode ser tahini também)

-1 colher de sopa de suco de limão siciliano (eu usei limão comum, mas o siciliano é mais aromático)

-azeite a gosto

-Queijo tipo grana padano ou parmesão ralado.

Colocar o brócolis em água fervente por poucos segundos até ele ficar verde brilhante. Joguei água gelada nele logo depois para tentar manter a “crocância”. Colocar numa tigela o grão-de-bico, juntar os brócolis, jogar por cima a mostarda, o suco de limão, regar com o azeite e misturar. Por último o queijo ralado. Fica meio azedinho! Eu amo brócolis e ele é super versátil na cozinha, além de durar um bom tempinho na geladeira. Já vi no supermercado brócolis orgânico congelado.

Fiz granola também com as sobras de nozes e castanhas do Natal, rende e fica uma delícia. O bom é que você pode usar uns ingredientes luxo…e foi o que eu fiz!

Granola Luxo

-4 xíc. de aveia em flocos grandes

-1 xíc. de gérmen de trigo (se for tostada, pode colocar no final)

-1 xíc. de amêndoas (sobra do Natal, aproveita!)

-1/2 xíc. de coco ralado

-1/4 de colher de sopa de sal marinho

-1/3 xíc. de mel ou agave

-4 colheres de sopa de óleo de canola ou coco (usei de coco extra-virgem)

Pré-aqueça o forno a 180°C. Numa panelinha em fogo baixo, misture o óleo e o mel. Em uma outra tigela, coloque os ingredientes secos e jogue por cima a mistura de óleo e mel. Misture bem. Coloque numa forma anti-aderente e asse por 10 minutos. Retire a forma, mexa o conteúdo e coloque para assar novamente. A cada cinco minutos repita esse procedimento, até a granola ficar dourada (mais ou menos 25-30 minutos).

Você pode colocar também: nozes, avelãs, castanha de caju ou do pará, açúcar mascavo, pedacinhos de rapadura, cacau em pó, canela, macadâmia, linhaça, semente de girassol.

Após assar, você pode adicionar  frutas secas como passas, damasco, tâmaras. Minha mãe descobriu uma loja no Graal na estrada para Búzios que vende umas frutas glaçadas maravilhosas, eu comprei morangos e coloquei na granola, ficou perfeito! Também coloquei semente de papoula, que ganhei da minha amiga Fernanda (mais conhecida como Madame Fécula). O paninho de girassol na verdade faz parte de um conjunto de guardanapos que ela fez para me presentear, eu amei!!!

E um viva à 2012, um ano em que todos nós ficaremos bonitos, bem alimentados e com a casa organizada!!!

Rabanada crocante de forno

9 Dez

Há pouco tempo, achava rabanada a coisa mais sem graça do mundo e não entendia o motivo das pessoas delirarem com aquilo. E ainda tinha o ritual estranhíssimo de passar no ovo e fritar. Até que um dia resolvi experimentar uma que minha mãe tinha comprado no Talho Capixaba e a desgraça foi feita, passei a amar rabanadas. Quente ou gelada, não importa, eu adoro! Para fingir que somos pessoas light, compartilho uma receita de rabanada crocante de forno. Minha amiga Kaká trouxe para cá e houve uma pequena reunião frenética em torno delas, e olha que ela ainda me disse que não ficaram 100%, pois elas amoleceram de um dia pro outro. Ela me passou a seguinte receita:

– pães de rabanadas, mas preferencialmente pão “dormido” 1 ou 2 dias.
– ovos batidos (com gema e tudo)
– leite (coloquei uma colher de chá de essência de baunilha)
– açúcar e canela bem misturados
– margarina ou manteiga
Modo de preparo:
1- Passe rapidinho o pão no leite, nos ovos e no açúcar com canela. Rápido para não ficar encharcadinho do leite.
2- Coloque em uma forma untada ou com papel manteiga (que é luxo para não grudar). Por cima de cada rabanada, coloque um pedacinho de manteiga ou margarina. Vai ajudar a dourar em cima.
3- Leve ao forno super pré aquecido. E deve demorar 20 a 30 min, para o açúcar ficar douradinho. Ele vira meio bala e fica até crocante!
Indo para o forno

Como ficaram depois de esfriar, delícia!

Elas realmente não ficaram muito molhadinhas, mas ficaram macias por dentro e super crocantes por fora. Super fácil de fazer, sem fritura e bem gostoso! Virei fã!

Bebida quente para alegrar o feriado

23 Jun

Friozinho bom nesse feriado de hoje. Vontade de passar o dia vendo filme em casa. Vi uma ideia ótima para levar sua bebida favorita para o sofá sem precisar equilibrar um pires. Dá para colocar um biscoitinho ou um saquinho de chá. Não parece uma bolsinha de boneca?

Fonte: Sweet Station

E para deixar com mais vontade, vou deixar uma receita de chocolate quente que já quero fazer hoje. Só não tenho o rum por aqui.

Ingredientes:
– 2 xícaras de leite
– 100 g de chocolate amargo ou meio amargo
– 1 pau de canela
– 2 colheres (chá) de mel
– 1 colher (chá) de açúcar mascavo
– 1 colher (chá) de extrato de baunilha (opcional)
– 2 colheres (sopa) de rum escuro

Modo de preparo:
Coloque o chocolate em uma panela com o leite, a canela, o mel e o açúcar. Leve ao fogo até que o chocolate derreta completamente. Se optar pelo extrato de baunilha, coloque-a depois de o chocolate derreter. Acrescente o rum aos poucos e prove para ver se não ficou forte. Retire a canela e sirva quente.

Fonte: Casa e Jardim

Beijos e bom feriado!

Noites frias e resfriados pedem sopa

2 Jun

Inverno carioca, 19 graus é considerando frio em terras praianas. Todo mundo começa a espirrar, tossir, fungar: é uma orquestra.

Graças ao meu limão com água quente todo dia de manhã, tô novinha em folha. Mas o Gui, que não é adepto das minhas teorias naturebas, ontem não conseguia nem levantar de tão ruim que ficou. Investi no combo cebola+alho que não é romântico, mas resolve! Vou deixar uma receita aqui que fez com que ele acordasse hoje tinindo. E claro: dormir, beber chá, frutinhas e limão sempre ajudam.

Sopa de Cogumelo

1 xícara (chá) de cogumelos-de-paris frescos
1/2 de cebola (usei uma grande)
1 dente de alho (coloquei logo dois)
1 colher (sopa) de manteiga
2 xícaras (chá) de água
1/2 xícara (chá) de creme de leite (de preferência fresco)
azeite de oliva (fui usando aos poucos ao refogar o cogumelo)
sal e pimenta-do-reino a gosto

Limpe os cogumelos com um pano úmido ou lavando em água corrente rapidamente, pois eles absorvem muita água.

Sobre uma tábua, corte os cogumelos em fatias finas.

Descasque e pique o alho e a cebola separados.

Aqueça uma panela em fogo alto e adicione a manteiga, assim que ela derreter, pode abaixar o fogo.

Coloque a cebola e refogue. Assim que a cebola ficar transparente, adicione o alho e refogue por mais um minuto. Adicione as fatias de cogumelo e refogue por 3 minutos, mexendo de vez em quando. Tempere com o sal e a pimenta, coloque a água e deixe cozinhar por 5 minutos.

Bata a sopa com o mixer ou deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador com cuidado para não derreter o copo ou mandar sopa pelos ares.

Depois que ela estiver batida, colocar o creme de leite e deixar cozinhando por mais um minuto. Verifique o sabor.

Pode servir com uma fatia de cogumelo pra enfeitar e azeite, hmmmm!

Receita original aqui.

Não gosto das fotos tiradas à noite não, mas “é o que tem pra hoje”.

Receitas Ilustradas

24 Fev

Hoje fiz minha primeira receita ilustrada. Fiz de homus (hummus, hamus, já vi escrito de tudo que é jeito) porque é uma das que mais gosto de comer. A única parte chatinha é tirar a casca, mas tem gente que põe com casca e tudo, fica mais pedaçudo. E tem gente que faz na panela de pressão, deve ajudar a deixar a casca bem mole, mas eu nunca fiz assim. Vou tirando de uma em uma entoando um mantra, esvaziando a mente ou vendo novela (tanto faz).

Chá de outono

18 Jun

Diz o Livro do Imperador Amarelo: “No outono é sábio deitar cedo e levantar cedo, com o cantar do galo, e ter o espírito sereno, a fim de minimizar a punição do outono. Alma e espírito devem unir-se para que a exaltação do outono seja tranquila e para conservarem seus pulmões  puros, as pessoas não devem dar expansão aos seus desejos.”

Outono é uma época propícia para voltar ao chá quente. Meu encanto por chás começou porque sempre tinha que recorrer ao chá de boldo quando me excedia nas guloseimas (o que acontece ainda com freqüência). De tanto tomá-los, comecei a curti-los e daí passei a estudá-los. Encontrei uma anotação curiosa, mas infelizmente não tenho a fonte. Antigamente, as três coisas mais destrutivas e mais perturbadoras do mundo eram:

  1. Ver jovens com pouca instrução
  2. O mau uso do chá fino
  3. A grande arte não receber a devida atenção

Falando em chá fino, os chineses ricos e de bom gosto compravam a variedade paotchong de cor parda-violácea que se transformava em uma infusão dourada.  Haviam também o bouy superior e o pekao ou pekoe-cor-de-rapé que provinham de folhas tenras e recebiam aroma de rosas. O melhor de todos era o orange pekoe, também oriundo de folhas muito tenras e pequenas. Ele era fermentado e manipulado de tal modo que ficava com a forma cilíndrica.

No entanto, havia um tipo de chá raramente acessível (até mesmo para as classes abastadas) chamado de fick-tsjaa – chá imperial. Somente príncipes e grandes senhores o tomavam. Tento imaginar qual seria o gosto desse chá. Para ser colhido, os trabalhadores (escolhidos a dedo) tinham que tomar um ou dois banhos antes, lavar os arbustos, colocar luvas e juntar as folhas em um cesto especial de junco. Pelo menos assim era o ritual na colina japonesa de Udsi, protegida por profundos fossos. Tudo isso para o imperador tomar uma xícara de chá.

No extremo oposto, o tipo mais grosseiro de chá japonês era o ban-tsjaa (banchá), feito do reaproveitamento das sobras do processamento dos chás finos. E isso inclui reaproveitar resíduos que caem pelo chão da fábrica. Hoje em dia esse processo deve ter mudado e o banchá contém somente as  folhas mais velhas do arbusto. O pior de todos, no entanto,  era o lie-tea dos ingleses. Além dos restos recolhidos do chão,  ele continha corante, amido, aguardante e até sangue.

A Holanda foi o primeiro país do Ocidente a entrar em contato com o chá, em 1610, por meio de mercadores que negociavam com os chineses. Só depois os ingleses o descobriram quando a Companhia Holandesa das Índias resolveu exportá-lo.

Melhor do que falar sobre chá, é saboreá-lo. Aqui tem uma receita que achei em um dos meus caderninhos.

Receita de Chá com Gengibre

  • 2 xícaras de leite
  • 1 1/2 de água
  • 2 colheres (chá) de chá preto
  • 1 fatia de gengibre
  • 2 paus de canela
  • 4 cardamomos

Ponha os ingredientes em uma panela alta. Levar ao fogo baixo e ferver por 15 minutos mexendo de vez em quando para o leite não derramar. Coe e sirva.

Fim de outono, começo de inverno. Melhor época para tomar um chá quentinho não há! 🙂

Fontes: O Livro do Chá – Francis Rhomer. Editora Aquariana / Meditando na Cozinha – Sonia Hirsh. Editora Corre Cotia.